19 de junho: Dia Mundial de Conscientização sobre a Doença Falciforme

A Organização das Nações Unidas (ONU) instituiu 19 de junho como o Dia Mundial de Conscientização sobre a Doença Falciforme, com o objetivo de dar visibilidade e reduzir as taxas de morbidade e mortalidade da doença.

A anemia falciforme é uma doença genética e hereditária, predominante em negros, mas que também pode manifestar-se em brancos. Ela se caracteriza por uma alteração nos glóbulos vermelhos, que perdem a forma arredondada e elástica, adquirem o aspecto de uma foice (daí o nome falciforme) e endurecem, o que dificulta a passagem do sangue pelos vasos de pequeno calibre e, consequentemente, a oxigenação dos tecidos. Para uma pessoa ter a doença, é preciso que o gene alterado seja transmitido pelo pai e pela mãe.

A anemia falciforme é detectada pelo teste do pezinho e as pessoas com a doença precisam de acompanhamento médico constante. Quanto mais cedo começar, melhor será o prognóstico.

O Instituto de Pesquisas, Ensino e Diagnósticos da APAE de Campo Grande (IPED/APAE) é referência na realização da Triagem Neonatal (Teste do Pezinho) em Mato Grosso do Sul, que diagnostica diversas doenças, dentre elas a Anemia Falciforme.

Pessoas diagnosticadas com anemia falciforme recebem o atendimento e o acompanhamento da equipe multiprofissional do IPED/APAE.

Além da Triagem Neonatal, o instituto também realiza a triagem Pré-Natal, exames complementares destinados à elucidação de diagnósticos, acompanhamentos e tratamentos.

Sintomas da Anemia Falciforme

Dor forte provocada pelo bloqueio do fluxo sanguíneo e pela falta de oxigenação nos tecidos; Dores articulares; Fadiga intensa; Palidez e icterícia; Atraso no crescimento; Feridas nas pernas; Tendência a infecções; Problemas neurológicos, cardiovasculares, pulmonares e renais e Priapismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *