CER recebe emenda de R$ 1milhão para ampliação de sua unidade de atendimento



A APAE de Campo Grande continua em sua batalha para a construção de mais um complexo de atendimento especializado em reabilitação. O CER 4, como está sendo chamado, já conseguiu levantar recursos federais na casa de R$ 2 milhões de reais, advindos de duas emendas parlamentares: uma de autoria da senadora Simone Tebet e a mais recente e entregue documento oficial nesta manhã, pelo deputado federal Geraldo Resende, com mais R$ 1 milhão em empenho.

O auditório do CER recebeu pacientes e seus familiares, além do corpo de funcionários da unidade que ouviram a notícia em primeira mão. Geraldo Resende fez questão de enfatizar que “era mais que um compromisso na minha função como deputado. Quando estive aqui pela primeira vez, há duas semanas atrás, não imagina tanto empenho e dedicação destes profissionais que compõem o CER. Por isso, não tinha outra alternativa a correr contra o tempo, já que era o último dia para inserir emendas parlamentares. No entanto valeu a pena o esforço”, diz.

O presidente da APAE, Antônio José dos Santos Neto agradeceu aos colaboradores e afirmou seu compromisso em continuar lutando pela entidade como um todo e buscando ainda mais recursos para a entidade. “Em todas as minhas falas, enfatizo a importância da parceria para o crescimento da APAE Campo Grande. Pois bem, esta parceria é um conjunto de ações de todos em prol de um bem maior que são nossos pacientes, alunos e familiares que contam sempre com nossa dedicação profissional”, afirma.

“Nossa luta pela saúde de nossos pacientes não é e nunca será em vão. Todos aqui sabem da luta que temos diariamente para termos esta estrutura, que considero completa e com excelente qualidade de nosso corpo de funcionários. Todos estão de parabéns por acreditarem”, relata o coordenador geral da APAE, Nilo Sérgio Laureano Leme, que ainda enalteceu que esta é só a metade do trabalho. “Acabamos de conseguir a metade e não iremos parar até que a outra metade esteja concretizada para a construção do CER4”, conclui.



VOLTAR

NOSSOS SETORES